quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Resumo do Livro A Mala de Hana

             Hana vinha  uma família calorosa e dedicada, mandada pelo pai, Karel, e a mãe, Marketa. Tinha uma vida feliz ao lado do seu irmão, George, onde brincavam com os dois gatos e com a cadela Sylva. Mas, quando começou a ter rumores da guerra, a vida dos judeus poderia mudar, pois Hitler o chefe dos nazistas , não gostava dos judeus.      
           A liberdade dessas duas crianças terminou com a entrada das tropas de Hitler na Checoslováquia. Só podiam sair de casa a determinadas horas do dia. Quando saiam tinham que usar uma estrela de tecido amarelo junta aos casacos, onde estava escrita a palavra judeu. Os judeus deixaram de poder brincar na rua, ir ao cinema ou a qualquer acontecimento que não esteja no horário.
             Depois dos pais serem presos pela Gestapo, foi a vez das crianças. Hana e George serem levados para um campo de concentraçao militar, em Theresienstadt, onde após um tempo poderiam mudar de campo, se Hitler mandasse.
           A 23 de Outubro de 1944, depois de viver dois anos no campo Kinderheim, em Theresienstadt, sofrendo muito com a mudança de seu irmão de campo e com os mals tratos que passava, Hana com apenas 13 anos de idade desceu de dentro do vagão do trem, onde não havia comida, água, e chegou a Auschwitz. Levou com ela uma mala castanha e nela colocou as roupas e alguns dos seus desenhos preferidos. Antes de sair lavou o cabelo e fez um rabo de cavalo, pois quando chegasse queria estar bonita para rever seu irmão George.
         Mas Houve um problema, George e Hana não se reverão, pois logo que  Hana chegou, foi levada para a câmera de gás, onde foi morta.
Geoge nao soube que Hana tinha sido morta, só descobriu quando saiu do campo e viu algumas meninas judaicas que ficaram com Hana no campo, assim elas disseram para ele a terrivel morte de sua irmã, na câmera de gás.
           A história de Hana chegou ao público graças a  Fumiko Ishioka, uma japonesa. Foi graças a Fumiko que, após ter recebido uma mala castanha com o nome Hana Brady para colocar numa exposição com outros artefactos do Holocausto, que Hana voltou a ser falada. Fumiko não descansou enquanto não soube mais sobre a dona da mala e foi assim que chegou até George, o irmão de Hana que tinha se mudado para o Canadá e que reconstruiu a sua vida, graças ao trabalho que fez nos campos de concentração. 

O grupo concluiu  que o livro é muito interessante, pois mostra que uma discriminação como a de Hitler, pode fazer uma crueldade com várias pessoas, ainda mais  separando elas de suas famílias e maltratando elas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário